sexta-feira, 8 de junho de 2012

No tempo da amarelinha



(desde 1993)

Maria Chiquinha e Maria Laço de Fita pulavam amarelinha. Maria Chiquinha de saia cor-de-rosa. Maria Laço de Fita de vestido azul-celeste. “Que cores será que as calcinhas delas têm?”, pensava João Gargarejo ao vê-las, distraídas, durante o recreio.

Maria Laço de Fita e Maria Chiquinha pulavam amarelinha. Maria Chiquinha de covinhas nas bochechas. Maria Laço de Fita com uma pinta no pescoço. “Que tipo de garoto será que os olhos delas gostam de olhar?”, pensava João Fundão, ao observá-las saltitantes e insinuantes.

Maria Laço de Fita e Maria Chiquinha pulavam amarelinha. Elas fingiam que não percebiam o alvoroço dos colegas no momento em que se abaixavam para pegar a pedra. Na aula de matemática, João Gargarejo, sentado à primeira fileira, concluía que a soma de duas Marias resultava em uma tremenda vontade de comprar dois bombons – um para Laço de Fita e outro para Chiquinha. Já João Fundão, que se encostava ao fundo da sala, atormentava-se, ponderava, mas não sabia o que fazer. “O que será que elas achariam se eu me oferecesse para brincar com elas?”

Maria Laço de Fita e Maria Chiquinha, no dia seguinte, pulavam amarelinha. Sem conseguir disfarçar a vergonha, João Fundão tentou brincar com as duas. Elas acharam muita graça, porque ele pulou um, dois, três, mas caiu antes do Céu. Durante a aula, ao fundo da sala, Fundão se arrependeu do que fez. Na saída, porém, renovou sua esperança:  Gargarejo trazia consigo O Manual da Amarelinha.

Na manhã seguinte, estudados e determinados, juntaram-se às Marias para pular amarelinha. O desastre foi terrível, nunca ninguém brincou tão mal: os garotos constrangidos, e as garotas nem aí. João Gargarejo e João Fundão jogaram o livro na lata de lixo e decidiram que nunca mais iriam olhar para Chiquinha, nem para Laço de Fita.

Maria Laço de Fita e Maria Chiquinha pulavam amarelinha. João Gargarejo não aparecia; João Fundão parece que dormia. Maria Laço de Fita e Maria Chiquinha não tinham mais vontade de pegar a pedra, portanto pararam de pular amarelinha. E o recreio perdeu a graça.

Mil recreios depois, Maria Chiquinha, Maria Laço de Fita, João Gargarejo e João Fundão deixaram a escola. Viraram Maria Luíza, Maria Fernanda, João Gabriel e João Alberto. Maria Chiquinha e Maria Laço de Fita pulavam amarelinha sem saber que faziam uma história. Acontece que o tempo, este sim – é o maior arteiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

É mais fácil entrar como "Anônimo" e assinar abaixo do comentário. Obrigada!