domingo, 10 de julho de 2011

Carta a Antônia

No meu livro Para crescer (editora Escrita Fina), Antônia anda às voltas com o que chama de fim do mundo. Se todos diziam que o mundo iria acabar em 2000, a verdade é que o mundo dela, sim, acabou. Há vinte dias, conversei sobre o livro com alunos da nona série da Escola Alemã Corcovado, em Botafogo, no Rio de Janeiro. Então soube que cada um tinha escrito uma carta a Antônia. De todas as redações, os próprios alunos escolheram uma para me mostrar. Seu autor, Felipe Carlos de Carvalho, criou um personagem, namorado da melhor amiga de Antônia, que mora em Nova Iorque. Ele escreve na véspera do Onze de Setembro:
Nova Iorque, 10/09/2001

Cara Antônia,
O que eu queria te dizer é que a vida continua. Fiquei sabendo da sua história pela Isadora. Eu sei que já passou muito tempo, mesmo assim, resolvi escrever. Obviamente o mundo não acabou, como muitos diziam que iria acontecer em 2000, entretanto pode até parecer que isso tenha ocorrido com você. Embora tenham ocorrido coisas com você que ninguém merece, sendo, na minha opinião, a pior delas a perda de uma pessoa querida, a vida continua. A vida vale a pena.
Já me fiz as mesmas perguntas que você se fez e cheguei à conclusão de que temos apenas que aproveitar nossos momentos na Terra. Além do mais, mesmo não sendo religioso, não acredito que todas as perguntas serão respondidas.  Apesar disso continuo me fazendo perguntas que vão além das outras, como: precisamos de um motivo para viver?
Aliás, não sabemos o que virá depois. Talvez sua mãe tenha feito a escolha certa, mas eu prefiro esperar até que minha hora chegue. Mesmo com o sofrimento, também temos as alegrias da vida, por isso acredito que não estaria pronto para partir. Prefiro não encurtar meu tempo. Nós, que não somos fiéis à religião e que não acreditamos em destino, continuaremos nos fazendo perguntas sem respostas. É apenas importante que aproveite a vida.
Trabalho no World Trade Center em Nova Iorque e sou brasileiro. Isadora e eu nos conhecemos lá e não sei se você ficou sabendo, mas estamos namorando. Quando soube da sua situação, fiquei feliz em poder lhe escrever.
Boa sorte na sua carreira e nunca se esqueça: aproveite a vida, já que ela pode acabar a qualquer momento.
Beijos,
Felipe.

Um comentário:

  1. Parabêns, Felipe!Acho que você compreende bem as coisas,hein? Adorei sua carta!Um livro tão bonito como esse merecia uma carta maravilhosa como a sua! Beijocas

    ResponderExcluir

É mais fácil entrar como "Anônimo" e assinar abaixo do comentário. Obrigada!